Pular para o conteúdo principal

Há 10 anos eu fazia o meu TCC de finalização da graduação. O que mudou?

Você já tentou imaginar o que estará fazendo daqui a 10 anos? Essa é uma pergunta muito difícil de responder e mais difícil ainda de acertar. Bem, pelo menos essa é a minha percepção pessoal.

10 anos, por exemplo, eu estava trabalhando no pré-projeto do meu Trabalho de Conclusão de Curso da graduação. Era o meu 5º ano no curso de Ciência da Computação e tudo se encaminhava para a formatura, mas eu sequer tinha ideia de que a área escolhida para o meu TCC despertaria uma vontade (grande) de fazer Mestrado posteriormente. Hoje eu sei a dimensão de mudança que esses detalhes representam na minha vida (existe um Daniel antes e outro depois do Mestrado; e eu nem estou citando o Doutorado, que foi, certamente, muito importante, mas a "divisão de águas" do Mestrado é insuperável).

Meu projeto de TCC foi em Computação em Nuvem, um tópico bastante relevante na época e que hoje é mandatório em qualquer curso que envolva tecnologias de Internet. Aliás, eu o disponibilizei na Internet em 2010 e ele é um sucesso de acessos. Gosto muito de lembrar desse projeto.

Entretanto, toda essa contextualização (e divagação) serve para dizer que, hoje, 10 anos depois, me vejo orientando um grande número de alunos que desenvolvem seus TCCs. Mais precisamente, neste semestre de 2019/1, fiquei responsável pela orientação e coorientação de 15 trabalhos (alguns em fase final e outros iniciando, obviamente), sendo que 2 já foram defendidos e 3 estão prestes a ir para a defesa. 

Apesar de um pouco assustador, esse grande número é fruto de duas ações bem conscientes:
  1. No segundo semestre do ano passado tomei a decisão de divulgar melhor a minha intenção de orientar alunos de graduação e a atitude deu bastante certo;
  2. Este ano firmei algumas parcerias importantes para orientação de trabalhos de mestrado e, como efeito colateral, surgiram mais ideias de TCC.

Aquele Daniel ansioso e perfeccionista que desenvolvia um TCC em 2009 JAMAIS conseguiria imaginar o Daniel que hoje orienta esses trabalhos e se anima com cada nova possibilidade de pesquisa que surge. Aliás, os alunos são brilhantes tanto nas escolhas, quanto no desenvolvimento de seus TCCs e a troca de experiências é uma mão de duas vias. Recomendo a experiência.

Feliz TCC-versário pra mim! (:

Que venham mais projetos.

Comentários

Postar um comentário



Postagens mais visitadas deste blog

Cidades Inteligentes: conceitos, serviços e tecnologias; veja a live

O conceito de Cidade Inteligente integra inúmeros dispositivos físicos conectados à Internet das Coisas com o objetivo de otimizar a eficiência das operações e serviços da cidade, melhorar a qualidade, desempenho e interatividade dos serviços urbanos, reduzir custos e consumo de recursos e aumentar o contato entre cidadãos e o governo. As cidades inteligentes podem ajudar tanto o poder público a reconhecer problemas em tempo real, quanto o cidadão a produzir informações, auxiliando a mapear, discutir e enfrentar essas dificuldades.  A quinta live do Curso Aberto de Redes, realizada na última terça (06/10) por meio do Cafezíneos Live, recebeu a Profa. Keiko Fonseca (UTFPR Curitiba) e o Prof. Ricardo Luders (UTFPR Curitiba) para um bate-papo a respeito de Cidades Inteligentes: conceitos, serviços e tecnologias encontrados em cidades inteligentes. Participaram da mediação o Prof. Daniel Fernando Pigatto (UTFPR Curitiba), a Profa. Natássya Silva (UTFPR Cornélio Procópio) e a Profa. Tânia M…

Desenvolvimento de Sistemas Embarcados e Sensores Inteligentes com Recurso à Recolha de Energia; assista a live

Na introdução aos sistemas embarcados são apresentadas as suas características principais, seguido de uma referência às ferramentas de hardware e software utilizadas no seu desenvolvimento. A importância nos dias de hoje dos dispositivos de baixo consumo energético tem levado a que, cada vez mais, se tenha vindo a desenvolver mecanismos de recolha de energia do ambiente. Para isso têm contribuído os dispositivos de baixo consumo energético e as técnicas utilizadas no seu desenvolvimento. A sexta live do Curso Aberto de Redes, realizada na última terça (20/10) por meio do Cafezíneos Live, recebeu o Prof. António Espírito-Santo (Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal) para um bate-papo a respeito de Desenvolvimento de Sistemas Embarcados e Sensores Inteligentes com Recurso à Recolha de Energia; assista a live. Participaram da mediação o Prof. Daniel Fernando Pigatto (UTFPR Curitiba), a Profa. Natássya Silva (UTFPR Cornélio Procópio) e a Profa. Tânia Monteiro (UTFPR Curitiba). …

Como adicionar a sua assinatura digitalizada a documentos PDF sem imprimí-los | Dicas #COVID19

Em tempos de home office, alguns documentos que tradicionalmente precisam de assinatura à mão precisam ser revistos. Eu sou um apoiador de alternativas mais sustentáveis, mas, em alguns casos, a única saída é imprimir o documento, assinar, escanear e enviar por e-mail. 
IMPORTANTE! Antes de mais nada, este post não ensina como fazer assinaturas digitais ou eletrônicas em documentos PDF. Os passos aqui apresentados apenas ensinam a inserir uma assinatura digitalizada (escaneada) em um documento, a qual não tem valor jurídico. Para saber mais sobre as diferenças entre esses tipos de assinatura, acesse este link.
Os leitores de PDF mais modernos permitem que você faça o preenchimento e assine documentos sem a necessidade de imprimí-los. O procedimento abaixo foi feito no Adobe Reader (versão gratuita), mas certamente você encontra a função de assinatura em outros softwares.

Abra o documento que você precisar preencher e/ou assinar;Na barra lateral direita, clique em "Preencher e assi…