Pular para o conteúdo principal

Aplicações do dia a dia e suas arquiteturas de funcionamento no âmbito das Redes de Computadores


No dia a dia a gente usa uma infinidade de aplicações que necessitam de comunicação com a Internet. Conversas via WhatsApp, trocas de e-mails, seriados e filmes pela Netflix, transações bancárias e vários outros exemplos que, muitas vezes, passam despercebidos. 

Quando estudamos Redes de Computadores, vemos que, em teoria, uma aplicação pode estar baseada em três modelos de arquitetura de aplicação. Eles são bem simples de entender: 

  • Cliente-servidor: ocorre quando um dispositivo Cliente consome um serviço ou recurso disponibilizado por um dispositivo Servidor. A grande maioria das aplicações utiliza este modelo;
  • Peer-to-peer (P2P): quando os dispositivos comunicam-se diretamente uns com os outros, sem uma divisão fixa entre Cliente e Servidor;
  • Híbrida: uma mistura dos modelo Cliente-Servidor e P2P.

O novo estudo de caso desenvolvido para meus cursos de ensino de redes foca nas arquiteturas de aplicação por meio da observalçai de algumas aplicações comuns do dia a dia. Acompanhe:

Veja outros estudos de caso clicando aqui.

Comentários



Postagens mais visitadas deste blog

O Protocolo IPv6: expansão das redes, aplicações e o processo de implantação; veja a live

O estoque de endereços IPv4 para a região da América Latina esgotou-se no mês de agosto de 2020. As previsões desse esgotamento vinham sendo discutidas há muitos anos e políticas de apoio e incentivo ao uso de seu substituto, o IPv6, vêm sendo realizadas há muitos anos. Mesmo assim, a maioria dos sistemas no mundo ainda usam IPv4 e a mudança ocorre de maneira muito lenta. Você sabe o que motivou essa mudança e por que ela é tão importante para as aplicações atuais?
A quarta live do Curso Aberto de Redes, realizada na última terça (22/09) por meio do Cafezíneos Live, recebeu o convidado Rayner M. Pires (Doutor em Ciências de Computação pela USP) para uma conversa sobre o tema O Protocolo IPv6: expansão das redes, aplicações e o processo de implantação. Participaram da mediação o Prof. Daniel Fernando Pigatto (UTFPR Curitiba), a Profa. Natássya Silva (UTFPR Cornélio Procópio) e a Profa. Tânia Monteiro (UTFPR Curitiba). 
Esta live contou também com tradução em tempo real para LIBRAS, aumen…

Cidades Inteligentes: conceitos, serviços e tecnologias; veja a live

O conceito de Cidade Inteligente integra inúmeros dispositivos físicos conectados à Internet das Coisas com o objetivo de otimizar a eficiência das operações e serviços da cidade, melhorar a qualidade, desempenho e interatividade dos serviços urbanos, reduzir custos e consumo de recursos e aumentar o contato entre cidadãos e o governo. As cidades inteligentes podem ajudar tanto o poder público a reconhecer problemas em tempo real, quanto o cidadão a produzir informações, auxiliando a mapear, discutir e enfrentar essas dificuldades.  A quinta live do Curso Aberto de Redes, realizada na última terça (06/10) por meio do Cafezíneos Live, recebeu a Profa. Keiko Fonseca (UTFPR Curitiba) e o Prof. Ricardo Luders (UTFPR Curitiba) para um bate-papo a respeito de Cidades Inteligentes: conceitos, serviços e tecnologias encontrados em cidades inteligentes. Participaram da mediação o Prof. Daniel Fernando Pigatto (UTFPR Curitiba), a Profa. Natássya Silva (UTFPR Cornélio Procópio) e a Profa. Tânia M…

Como funciona a Netflix?

Quem já fez aula de Redes de Computadores comigo ou acompanha este blog desde o início, talvez conheça o meu "famoso" estudo de caso sobre a Netflix. Em 2017, eu desenvolvi, despretensiosamente, o estudo de caso Como funciona a Netflix? e ele passou a ser um elemento obrigatório nas minhas disciplinas.
O grande acerto nesse estudo de caso foi a adoção do seriado Stranger Things como tema da apresentação, deixando tudo com um leve tom de humor, o que, por sua vez, sempre envolve os ouvintes e abre espaço para o provimento de informações importantes para o estudo.
Hoje, com o andamento do meu Curso Aberto de Redes, gravei o vídeo relacionado a esse estudo de caso. Os números foram atualizados e o estudo de caso ficou ainda mais interessante devido à quarentena. 
E você, faz ideia de como funciona a Netflix? Veja o vídeo: